CATEGORIAS: Blog, Cirurgia Plástica

Mamoplastia e amamentação: qual é a relação?

Quando o assunto é cirurgia nas mamas, muitas mulheres, mães ou não, se preocupam acerca da capacidade de amamentação após a realização da cirurgia. Falar sobre mamoplastia e amamentação é delicado, uma vez que a eficácia da amamentação após o procedimento cirúrgico vai depender de diversos motivos, que variam de paciente para paciente.

Se você está planejando realizar a mamoplastia ou se você já fez o procedimento e está com um bebê a bordo, e ainda tem dúvidas sobre a relação entre a mamoplastia e amamentação, continue a leitura.

mulher-coberta-branco-mamoplastia e amamentação
Designed by Freepik

Eu vou conseguir amamentar após realizar a mamoplastia?

Não existe um meio de afirmar com certeza se é possível ou não. Na medicina, assim como toda ciência, nada é 100% certo. O que pode-se dizer é que depende. “Mas depende de que, então?”

A eficácia da amamentação após a mamoplastia vai depender de três quesitos:

  1. Do tamanho da mama;
  2. Da magnitude do procedimento;
  3. Da técnica utilizada.

Esses três quesitos estão ligados intrinsecamente uns aos outros, ou seja, essas três questões, juntas, poderão fazer com que a mãe amamente ou não após a cirurgia.

Vamos analisar um caso: a paciente tem mamas muito grandes, que prejudicam a sua coluna, e por isso, escolheu a mamoplastia.

Possivelmente, será necessário esvaziar muito a mama. Nesse caso, os ductos mamários podem ser lesados, o que aumenta as chances de obstrução da passagem do leite até os mamilos. O mesmo pode acontecer com pacientes em que a aréola mamária precisa subir muito ou precisa ser retirada.     

Outra situação: a paciente tem um excesso de pele nas mamas, possivelmente causada por grande perda de peso, o que também fez com que ela escolhesse a cirurgia nas mamas.

Nesse contexto, retirando apenas a porção inferior das mamas, a glândula e a conexão dos ductos até o mamilo continuam preservadas, o que aumenta as chances dessa paciente amamentar no futuro.

Então tudo depende de cada cirurgia?

Como vimos, as duas pacientes escolheram a cirurgia mamária. Porém, cada caso precisou de uma abordagem, tendo em vista o tamanho da mama, a magnitude dos procedimentos e a técnica escolhida pelo cirurgião em cada situação.

Viu só a relação entre aqueles três quesitos listados no começo do texto? O tamanho da mama vai influenciar em um procedimento de maior ou menor profundidade, o que leva diretamente à escolha da técnica, que vai de acordo com as habilidades e preferências do cirurgião.

 

mamoplastia e amamentação-mulher-médico-busto
Designed by Freepik

Se você ainda tem medo de realizar a mamoplastia e não poder amamentar, em primeiro lugar, você deve considerar os motivos pelos quais você irá realizar a cirurgia. Além disso, se você ainda não tem filhos, deve levar em conta a possibilidade e vontade de engravidar.

Em segundo lugar, conversar com o seu médico é fundamental e expor que você deseja ter filhos e, consequentemente amamentá-los, no futuro. Apenas o seu médico poderá indicar o melhor caminho para o seu caso.

O que eu faço se fiz a mamoplastia, mas não consigo amamentar?

Como vimos, há casos e casos, mas isso não quer dizer que você deva deixar a amamentação de lado se na primeira tentativa o leite não descer.

Muitas mães acabam se rendendo, acreditando que não são capazes de amamentar, o que pode ser um equívoco, nesses casos. O ideal é sempre procurar informações com o seu médico.  

Resumindo, a relação entre mamoplastia e amamentação é estreita, em outras palavras, dependendo do seu processo cirúrgico, a amamentação após a mamoplastia pode ser efetiva ou não. Quanto mais invasivo, as chances da não amamentação após o procedimento podem aumentar.

Converse com o seu médico e tire todas as suas dúvidas. Se a mamoplastia é o seu objetivo, leia o artigo que preparamos sobre como planejar a sua cirurgia plástica.

CATEGORIAS: Blog, Cirurgia Plástica

Como planejar a sua cirurgia plástica

Submeter-se a um procedimento cirúrgico requer planejamento. Mesmo quando a cirurgia acontece às pressas, é preciso reorganizar toda a rotina dos dias que virão após a operação. No caso das cirurgias plásticas, que geralmente não são procedimentos emergenciais, o paciente tem a oportunidade de planejar o pré e o pós-operatório e assim, pode diminuir os imprevistos durante esse processo. Hoje você vai aprender como planejar a sua cirurgia plástica. 

Diferentemente do que muitos pacientes possam imaginar, planejar a cirurgia plástica não se resume apenas às questões financeiras. Iremos abordar os pontos principais que dizem respeito ao planejamento de sua cirurgia plástica, como as suas expectativas em relação aos resultados, a escolha do cirurgião, o tempo e o financeiro. Acompanhe!

Avaliando as suas expectativas

Pesquisas realizadas pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica apontam que o Brasil está entre os primeiros no pódio mundial dos países que mais realizam cirurgias plásticas, deixando para trás até os Estados Unidos.

Vivendo em um dos países que mais realizam esses procedimentos anualmente, quais são as suas expectativas em relação ao processo? O que você espera com os resultados da cirurgia? Você, de fato, vê mudanças em sua vida ou a cirurgia acabou sendo apenas uma escapatória para outras questões pessoais? Reflita sobre isso e considere se a cirurgia plástica é, de fato, a melhor escolha para você nesse momento.

Escolhendo o melhor cirurgião

O melhor cirurgião não é apenas aquele que possui inúmeros títulos. Um bom profissional precisa saber, primeiramente, quais são os verdadeiros motivos para a realização da cirurgia, o que requer tempo e muita conversa com o paciente. Além disso, deve existir uma relação de confiança entre médico e paciente.

É claro que você deve levar em conta a carreira do cirurgião, conferindo se ele é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Converse com mais de um cirurgião, tire todas as suas dúvidas, repita o que for necessário, peça opiniões, até chegar à conclusão de que você encontrou o melhor médico.

Administrando o tempo     

Lembre-se de que antes da cirurgia você precisará passar por diversas consultas, realizar exames clínicos e, após a cirurgia, independentemente do procedimento, você precisará de tempo para repouso e deverá seguir as orientações médicas durante o pós-operatório.

Não respeitar o tempo de repouso e de recuperação do corpo pode trazer prejuízos à saúde. Não existe um tempo exato de recuperação, já que isso vai depender de cada procedimento e do próprio organismo do paciente. Por isso é essencial seguir as orientações do cirurgião e obedecer o tempo de recuperação, assim você evita infecções e outras complicações. 

Organizando as finanças  

Os custos das cirurgias plásticas variam por diversos motivos que não entraremos em detalhes aqui. O que você deve considerar é o fato de que você precisará investir uma boa quantia de dinheiro em sua cirurgia.

Considere todas as suas opções, parcelamento no cartão de crédito, empréstimo, financiamento ou a velha conhecida poupança e veja o que compensa a curto, médio e longo prazo. Sua cirurgia pode esperar? Você tem a opção de juntar dinheiro? Os juros do cartão, empréstimo e financiamento compensam?

Fazer um planejamento de sua cirurgia plástica pode não ser fácil, mas é fundamental para que você evite dores de cabeça ou aborrecimentos durante esse processo. A cirurgia plástica, além da estética, exerce uma função essencial com o nosso interior, aumentando a autoestima e nos deixando mais felizes. Imprevistos acontecem, mas por que esperar se podemos nos planejar, não é mesmo?

Se você gostou deste post, compartilhe com o seu amigo que ainda está em dúvidas sobre como planejar a cirurgia plástica.